Posts Tagged ‘psb’

Chimarrão com Política debaterá a democracia no Brasil e as reformas estruturais

O Partido Socialista Brasileiro – PSB de Porto Alegre realiza na próxima quinta-feira (12) a 8ª edição do Chimarrão com Política, com o tema “A democracia no Brasil e as reformas estruturais”. O presidente estadual do PSB, deputado federal Beto Albuquerque, e o ex-deputado federal Hermes Zaneti abordarão questões como o pacto federativo, fundos de participação, dívida dos estados, a viabilidade dos governos, reforma política e tributária, manifestações das ruas e eleições de 2014. O vereador socialista de Porto Alegre Airto Ferronato será o debatedor.

O Chimarrão com Política será realizado na Sede Municipal (Riachuelo, 493), a partir das 18h30min. A atividade, destinada ao debate e à formação política, é aberta à participação dos filiados.

PAINELISTAS:

Beto Albuquerque

Advogado, deputado federal, líder da Bancada do PSB na Câmara dos Deputados e Presidente Estadual do PSB/RS

Hermes Zaneti

Advogado, ex-presidente do CPERS e da Cooperativa Vinícola Aurora, deputado federal por dois mandatos (1982-1990), destacando-se como deputado constituinte, bem como por propor a moratória da dívida externa e a emenda do voto aos 16 anos.

DEBATEDOR:

Airto Ferronato

Vereador, contador, fiscal estadual de tributos, pós-graduado em Finanças e Controladoria e mestre em Gestão de Empresas.

Eduardo Campos destaca planejamento estratégico para atração de investimentos

67909fecdedbae08214b0f676104af58_XL
Pernambuco ganha mais uma unidade fabril em seu território. Na sexta-feira (6), o governador Eduardo Campos participou da inauguração da Famastil Taurus Ferramentas, instalada no município de São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife. Os investimentos chegam a R$ 12 milhões, gerando 150 empregos diretos. A estimativa é que a unidade alcance um faturamento de R$ 60 milhões de faturamento em três anos.

Para o governador, o início das operações da Famastil faz parte de um “planejamento estratégico, inclusive de divulgação de um destino para os investidores do Brasil e de fora do Brasil”. Eduardo destacou ainda a mudança na formação do PIB pernambucano. “O Estado vive um grande processo de mudança de sua matriz econômica. Vemos uma recomposição da expressão da indústria, retomando um padrão entre 20 e 30% da formação do PIB de Pernambuco”, explicou Eduardo.

A Famastil Taurus, segunda maior empresa de ferramentas do País, está funcionando num terreno de 15 hectares. A planta tem a fabricação do carrinho de mão e de caixas plásticas (Prast-K) como principais unidades de produção. Na unidade, funciona também um centro  de distribuição. “Esse é um Estado que oferece condições diferenciadas para uma empresa se instalar. Encontramos aqui uma condição ímpar para desenvolver nossa atividade”, afirmou o presidente do Grupo Famastil, Michel Gasperini.

O governador ressaltou que a empresa será beneficiada com a construção do Arco-Metropolitano, que vai ligar Goiana a Suape. “Esse é um lugar estratégico que os senhores escolheram, com a chegada do Arco-Metropolitano, que vai fazer a ligação do Norte ao Sul, passando aqui pelo Oeste, ajudando na logística. Espero ter outras oportunidades de voltar aqui e inaugurar outras linhas de produção”, frisou Eduardo.

Fundado em 1953 pelos ferreiros Eduardo e Luis Tissot, em Gramado, no Rio Grande do Sul, o Grupo Famastil é uma das mais atuantes companhias do setor. A empresa foi diversificando sua produção e hoje atua com diversas linhas na área de mecânica, construção civil, jardinagem, irrigação e utilidades.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do Governo de Pernambuco

Projeto quer integrar bicicletas com o TRI

Tramita na Câmara de Vereadores um projeto que prevê o uso das bicicletas de aluguel com créditos do cartão TRI. A proposta é popularizar o sistema, que atualmente só permite a utilização mediante um pagamento efetuado por cartão de crédito. Inaugurado em setembro de 2012, o sistema de bicicletas compartilhadas ganhou grande adesão, mas para o autor do projeto de lei, o vereador Paulinho Motorista (PSB), falta dar acesso à população de baixa renda. “Há pessoas que não têm condições de ter um cartão de crédito. E o TRI é um cartão muito fácil de ter”, argumenta o parlamentar.

O diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, afirma que a sugestão já está sendo estudada há cerca de um mês pela própria entidade e pela empresa que administra o BikePoa com patrocínio do Itaú. “Iniciamos um estudo técnico na primeira quinzena de julho. A primeira avaliação é que tem a possibilidade disso ocorrer. Estamos aguardando o prazo do relatório final”, observa Cappellari.

Renovação este mês O contrato das bicicletas se encerra este mês e deve ser renovado por mais dois anos. Atualmente, são 35 estações e 350 veículos. No acordo firmado ano passado, a operadora do serviço se comprometeu a entregar 40 estações e 400 bikes até o dia 22 deste mês. METRO POA

Mais sete estações

Desde sábado, Porto Alegre conta com mais sete estações e 70 bicicletas de aluguel. Os novos locais são: rua Cabral com São Manoel, Mostadeiro com Goethe; Parcão, praça da Encol, rua Rômulo Telles Pessoa próximo à praça André Forster, rua Botafogo com Getúlio Vargas e avenida Chuí com Icaraí.

Fonte: Metro

PSB entra com representação contra Donadon por quebra de decoro

Após ser absolvido pelo plenário da Câmara na última quarta-feira, o deputado Natan Donadon (sem partido-RO) poderá responder a processo de cassação do mandato por quebra de decoro parlamentar. Representação nesse sentido foi apresentada hoje (2) ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara pelo PSB. Se a representação for aceita, será aberto processo de cassação contra o deputado Natan Donadon por quebra de decoro parlamentar.

O partido argumenta que o deputado quebrou o decoro parlamentar ao ser condenado, preso e comparecer à Câmara para a votação do seu processo de cassação. “Os fatos são estarrecedores e não se coadunam com os requisitos de probidade e decoro parlamentar, exigidos para o exercício do mandato popular”. “O deputado afeta a imagem da Casa, quando nas dependências externas da Câmara é algemado e transportado de camburão do serviço penitenciário para o Presídio da Papuda, em Brasília”, acrescenta o PSB na representação.

“Nós do PSB decidimos abrir um segundo caminho contra o deputado Natan Donadon que é a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar”, disse o presidente em exercício da legenda, deputado Beto Albuquerque (RS).  De acordo com Albuquerque, não há relação entre a absolvição de Donadon e a representação apresentada pelo PSB. “Ele [Donadon] não foi processado sobre isso [decoro]. Ele deve ser [processado], porque a quebra de decoro quem deve resolver é a Câmara”.

De acordo com Beto Albuquerque, a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar é um caminho que a Câmara tem para “redimir do equívoco de não ter cassado quem está preso e condenado”. Segundo o parlamentar, a quebra de decoro não está presa ao crime cometido. “Ela é ampla e sem definição fática concreta. O decoro é análise do efeito que a prisão de Donadon tem sob o Parlamento. O fato é que sua vinda aqui algemado, seu voto, envergonha o Parlamento, a quebra de decoro está embasada na questão política”, disse.

Natan Donadon está preso desde o dia 28 de junho, no Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal, pelos crimes de peculato e formação de quadrilha. Ele foi condenado a mais de 13 anos de prisão pelo Supremo Tribunal Federal, pelo desvio de mais de R$ 8 milhões da Assembleia Legislativa de Rondônia.

Fonte: Agência Brasil

Eduardo Campos visitou os RS no último fim de semana

1175012_671326662879497_407460645_n
Presidente Nacional do PSB, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, visitou a  Expointer nesse sábado (31). Acompanhado pelo líder do partido na Câmara, deputado federal Beto Albuquerque, pelo deputado federal, José Stédile e pelo deputado estadual Miki Breier,  Campos andou pelo parque e visitou os veículos de comunicação.

A agenda do governador pernambucano na maior feira de agronegócio da América Latina, começou com uma visita à Casa da Assembleia, onde conversou com lideranças políticas, entre elas, o presidente do legislativo, Pedro Westphalen, a senadora Ana Amélia e Celso Bernardi, presidente estadual do Partido Progressista (PP).

O governador Eduardo Campos agradeceu a receptividade do legislativo gaúcho. “Esta minha visita simbólica mostra o respeito que tenho pela Assembleia Legislativa, não apenas pelo bom trabalho e dedicação, mas também pela crença na democracia, que é algo que nos dedicamos tanto a construir no nosso país, sempre prezando a liberdade. Sou testemunha das qualidades da AL em meio a tantas crises do país pois percebo o esforço exercido para trazer à tona todas as pautas do Estado, visando resolvê-las”.

No rápido encontro, Westphalen se mostrou honrado com a presença do governador à casa da AL. “Esta visita demonstra o quanto ele valoriza a atuação do legislativo nos estados. Lembro que quando visitei Recife ainda este ano, fui muito bem recebido pelo povo e notei a eficiência da boa gestão do governador no Estado, então, quero apenas retribuir tamanha gentileza e recebê-lo da mesma forma aqui na Casa do povo”, disse.

A senadora Ana Amélia não poupou elogios ao governador. “Estamos precisando de sangue novo na prática da política brasileira, e, analisando ao trabalho do governador, tenho aprendido muito com seu jeito de governar, dando a voz primeiramente ao povo. Quero cumprimentar Eduardo Campos não apenas pelas qualidades, mas também por sua inserção na política com responsabilidade e clareza. O que pudermos construir juntos será uma honra”, completou.

Nas visitas à imprensa, ao ser questionado sobre as eleições do próximo ano, o presidente socialista afirmou que o partido entende que as decisões deverão ficar para 2014. “Até lá, nosso compromisso é ajudar o país e promover o crescimento da sigla”, disse ao afirmar que a decisão do diretório regional quanto as alianças no Rio Grande do Sul contarão com o apoio da direção nacional.

Eduardo Campos também fez uma avaliação do cenário atual do país. “O Brasil avançou muito nas últimas três década, na estabilidade econômica, na democracia, na redução das desigualdades. Mas no segundo momento da crise internacional o país está sofrendo mais. As manifestações mudaram muita coisa. A sociedade está querendo serviços públicos de melhor qualidade, em especial na saúde, segurança e educação”.

Depois de circular pelo pavilhão da agricultura familiar, Campos visitou o estande da Farsul e foi recepcionado pelo presidente da Fetag, Elton Weber, com um coquetel de produtos coloniais. ” Fiz questão de vir aqui para reafirmar nosso compromisso com a agricultura familiar e com as bandeiras de luta da Federação, disse ao defender acesso ao crédito facilitado, assistência técnica aos produtores e qualidade de vida no campo”.

Ao final da visita à Feira, Campos elogiou os gaúchos pelo sucesso da Expointer.  “É sempre um prazer estar nesta feira que une todo o setor do agronegócio brasileiro. Aqui todos os anos os gaúchos fazem uma celebração enquanto mostram a força de sua produção e cultura. O que nos une é um interesse nacional, demonstrado perfeitamente pela força da produção gaúcha”.

Demais atividades

À tarde, Eduardo Campos ainda participou de uma plenária  “O Brasil que quer mais e melhor”, na cidade de Passo Fundo, capital nacional da Literatura. Será às 15 horas no Auditório do Colégio Menino Jesus – Rua General Prestes Guimarães, 520 – Vila Rodrigues.

No final da tarde, às 18 horas, chegou em Caxias do Sul, na Serra gaúcha, para outro encontro também sobre o tema “O Brasil que quer mais e melhor”, que ocorrerá na Câmara de Vereadores – Rua Alfredo Chaves, 1323 – centro.
Fonte: PSB

“Precisamos resgatar a estabilidade econômica no Brasil”, defende o líder do PSB

Beto na tribuna site
Dados recentes têm apontado a dificuldade do Governo Federal em lidar com os problemas econômicos que afetam o Brasil, como a alta da inflação e do dólar, o baixo crescimento da economia e a ameaça concreta de desemprego. “Estão fazendo de conta que não existe um risco real da precipitação de uma crise que poderá repercutir severamente sobre o País”, alerta o líder do PSB na Câmara, deputado Beto Albuquerque (RS).

De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta semana, pelo Ministério do Trabalho e Emprego, a criação de vagas de emprego formal teve o pior julho em 10 anos, com 41.463 oportunidades criadas. O resultado é 77% menor do que o registrado no mesmo período do ano passado, com 183.347 novas vagas. “A realidade da economia brasileira começa a ser cruel com os trabalhadores por ausência de decisões concretas”, avalia o socialista.

Outra preocupação do socialista é o aumento da inflação. Dado do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostra que o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial subiu 0,16% em agosto. No mês anterior esse número era de 0,07%. No acumulado do ano, o indicador foi para 3,69. “A inflação é o veneno mais perigoso para a população mais pobre, ela ameaça os empregos e diminui o poder de compra”, lembra o parlamentar.

De acordo com o IBGE, o crescimento da taxa do IPCA 15 de agosto é explicada, em grande parte, pela menor queda dos grupos alimentação e bebidas (de -0,18% em julho para -0,09% em agosto) e transporte (de -0,55% para -0,30%), aliada à alta de saúde e cuidados pessoais (de 0,20% para 0,45%) e educação (de 0,11% para 0,68%).

Para Beto, é preciso buscar mecanismos para que a economia brasileira seja forte e confiável, caso contrário, as conquistas dos últimos anos podem ser perdidas. “Estamos alertando para a possibilidade de os riscos da crise colocar abaixo muitas dessas conquistas.Queremos ajudar a vencer este momento difícil!”

Fonte: PSB

JP Morgan aposta que Eduardo Campos será o adversário de Dilma

O JP Morgan, um do principais bancos de investimentos do mundo, produziu um amplo relatório sobre as eleições presidenciais de 2014 destinada a seus investidores em que traça um cenário completamente aberto na disputa. Diz que a economia pode fragilizar a candidatura de Dilma Rousseff (PT), que Marina Silva (Rede) não deve decolar, que Aécio Neves (PSDB) deve enfrentar problemas e que Eduardo Campos (PSB) tem boas chances para crescer.

O banco prevê Dilma com dificuldades decorrentes do cenário econômico com baixo crescimento do PIB, aumento do desemprego e da inflação. Cenário, segundo o relatório, muito diverso do que a elegeu em 2010. “A performance do PIB nos dois primeiros anos de governo Dilma será provavelmente a pior em uma década. O que até recentemente era um mercado de trabalho pressionado, agora tende a ser mais flexível, com redução da criação de empregos e possível fins dos ganhos reais nos salários.”

O texto diz que as demandas das ruas serão trazidos para a campanha e que a população acredita que o governo não reagiu bem a isso, muito em razão da natureza dessas demandas: a melhoria na qualidade dos serviços públicos, o que demanda tempo para ser atendido. Disse que em outros países os protestos foram seguidos por mudanças eleitorais, como Egito, Israel e Tunísia.

Nesse cenário, o banco coloca que esse risco político enfrentado pelo governo pode implicar em medidas ruins para o mercado, dado o “hiperativismo e intervencionismo do governo na macroeconomia”. Afirma que a probabilidade é de que Dilma se estabilize em 35% dos votos, o que mostra que, mesmo com as perspectivas econômicas, é uma candidata forte. Principalmente pela força do PT.

Para o JP Morgan, Marina parece não ter grandes chances. Avalia que seu bom posicionamento nas atuais pesquisas decorre da lembrança de 2010 e de ser beneficiária dos protestos. Destaca o fato de ela não ter estrutura partidária para competir, além das dificuldades para formar coalizão. O banco deixa claro ainda sua preocupação quanto a suas dificuldades para lidar com interesses políticos, especialmente no Congresso.

O banco avalia que seus votos devem migrar para Aécio e, principalmente, Eduardo Campos. “Acreditamos que conforme as pessoas estejam mais atentas de quem são os candidatos, a intenção de votos deles deve crescer. Isso é mais fácil de ocorrer com Campos, considerando que 44% dos eleitores não sabem quem eles são. Mesmo no Nordeste, onde ele supostamente é forte, 42% dos eleitores não sabem quem ele é”.

O governador de Pernambuco representaria a “continuidade, sem continuísmo”, com a manutenção de programas sociais da era petista mas com novo viés para o setor privado: menos intervencionismo, eliminação de barreiras para investimentos privados e estímulo a competição: “Campos tem se reunido com muitos empresários, promovendo a plataforma de que irá induzir o investimento privado e reduzir as barreiras a ele, adotando menos intervencionismo e uma estratégia favorável ao lucro e a competição. É inquestionável que essa é uma das maiores necessidades do Brasil.”

Sobre Aécio, destaca seu governo bem avaliado em Minas Gerais. Para o banco, modernizador na gestão das contas públicas. Mas coloca que muitos acham que sua vida social pode atrapalhar sua campanha. “Ele sempre aparece em fotos de paparazzi em festas disputadas. Muitos acreditam que isso pode trabalhar contra ele durante a campanha”. Por outro lado, coloca que se trata de um desconhecido nacionalmente – o que pode lhe dar potencial de crescimento – e que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), responsável pelo Plano Real, o apoia.

Em relação a José Serra (PSDB), o banco afirma que ele causaria um efeito desestabilizador na campanha, mas que não chega a ser competitivo. Sua colocação razoável nas pesquisas decorre de sua participação em duas eleições presidenciais. “Serra tiraria mais votos de Aécio do que de qualquer outro, o que é um prejuízo apenas para o PSDB, em todos os sentidos.”

O eventual retorno do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é tratado como algo com 30% de chances de ocorrer. “Não achamos que Lula queira retornar e colocar em xeque seu legado em ambiente de crescimento menor da economia. Além disso, suas condições de saúde são sempre discutidas. Ele está com 67 anos e sua aparência mudou após tratamento contra o câncer”. Ressalta, contudo, que se no fim do primeiro semestre de 2014 Dilma estiver fraca nas pesquisas, ele pode voltar.

Fonte: Valor Econômico

Governador de Pernambuco inaugura Portomídia, espaço que abrigará o poder criativo dos pernambucanos

“Que venham os que sabem fazer acontecer. Agora começa a parte mais interessante, que é trazer o talento e a genialidade dos pernambucanos e nordestinos que vão ter aqui espaço para seu poder criador.” Esse foi o convite feito pelo governador Eduardo Campos ao inaugurar, o Portomídia, o Centro de Empreendedorismo e Tecnologias da Economia Criativa do Porto Digital.

O espaço nasce com o objetivo de incentivar as empresas que lidam com as áreas da Economia Criativa, mas que o fazem com uso intensivo de Tecnologia da Informação, uma área onde o Porto Digital já é referência no cenário nacional e internacional. Segundo Eduardo, o Portomídia “guarda sinergia” com o esforço de estruturação de toda a cadeia da tecnologia da informação no Estado. “Também guarda relação com o esforço que o governo tem feito em estruturar uma política publica na área de cultura”, colocou.

Para começar a operar, o empreendimento recebeu um aporte de R$ 24 milhões. Além do Governo do Estado e do Governo Federal, que juntos investiram R$ 3,5 milhões, outras quatro instituições injetaram verbas na concretização do projeto: BNDES (R$ 8,8 milhões), Financiadora de Estudos e Projetos – FINEP (R$ 3,8 milhões), Ministério das Comunicações (R$ 7,8 milhões) e SEBRAE (R$ 128 mil).

O espaço de 500 metros quadrados, localizado na rua do Apolo, no Bairro do Recife, vai beneficiar um tripé formado por produtores, criadores e tecnólogos em seis setores da economia criativa: Multimídia, Jogos digitais, Cine-vídeo-animação, Design, Fotografia e Música. A atuação desses setores será guiada por quatro pilares: Educação, Empreendedorismo, Exibição e Experimentação.

Presidente do Porto Digital, Francisco Saboya explicou que o projeto surgiu há cerca de três anos durante elaboração do planejamento estratégico da instituição, que identificou a necessidade de incluir um segundo grupo de atividades que tivesse “sinergia” com a área de Tecnologia da Informação. “Esse empreendimento não chega para promover concorrência com produtoras privadas, mas sim para “contribuir para o desenvolvimento na cidade do Recife, de cadeias produtivas nessas seis áreas”, esclareceu Saboya.

Para o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcelino Granja, o início das atividades do Portomídia marca uma “arrancada definitiva que permite apoiar o produtor cultural, o criador e o artista, da produção à pós-produção, num nível elevadíssimo de condições de apresentar o nosso produto, a nossa ideia criativa”. O secretário lembrou que o Estado tem investido, por ano, mais de R$ 20 milhões no suporte ao empreendedorismo através de políticas de ciência e tecnologia.

INFRAESTRUTURA – O espaço conta com duas salas de capacitação equipadas com computadores de última geração e infraestrutura para até vinte alunos por sala. Dispõe ainda de duas salas de incubação para dez empresas, cinco laboratórios de imagem, som, design, animação e interatividade e a mais moderna sala de screen-test para mixagem e finalização de som e imagem do país. Esta sala será equipada com aparelhos de ponta, como o BaseLight, que permitirá o tratamento de cor e imagem em 4k em tempo real, scanner e impressora (prototipagem) 3D. Além disso, o Portomídia conta com uma sala de exibição de 100 metros quadrados, equipada com painéis interativos e displays.

Assessoria de Comunicação Social do Governo de Pernambuco

Ascensão de Marina Silva amplia pressão sobre Aécio Neves no PSDB

13223325

 

A ascensão da ex-senadora Marina Silva na corrida presidencial e o desempenho tímido do senador mineiro Aécio Neves (PSDB) reavivaram antigas divisões no principal partido da oposição sobre a melhor maneira de enfrentar a presidente Dilma Rousseff nas eleições de 2014.

Os resultados da mais recente pesquisa do Datafolha, publicados ontem, mostram que o senador mineiro perdeu quatro pontos no cenário mais provável. Marina Silva foi a única candidata no campo da oposição que avançou, indo de 23% para 26%.
Ao mesmo tempo, a aparição na pesquisa levou o ex-governador José Serra a declarar abertamente que deseja uma “comparação” direta entre o seu desempenho e o de Aécio, ainda que ele resista em assumir-se candidato.

“Independente de ser candidato ou não, curiosamente a pesquisa não permite uma comparação adequada entre mim e o Aécio”, disse Serra. “De todo modo, o que fica evidente é como o quadro sucessório é mutante”, finalizou.

Sem mencionar Serra, Aécio, que é presidente nacional do PSDB, afirmou que neste momento, os candidatos que já concorreram à Presidência estão em vantagem.

“As pesquisas são estimuladoras, principalmente se analisarmos o conhecimento dos nomes colocados, o que, neste momento, é a informação mais relevante”, disse. “O PSDB, não tendo definido ainda sua candidatura, manterá sua estratégia, que é a de conversar cada vez mais com mais brasileiros.”

Aécio conta com os programas que o PSDB exibirá em cadeia de rádio e televisão em setembro para se tornar mais conhecido nacionalmente.

Hoje o mineiro tem quase que a hegemonia no partido, o que levou o ex-governador Serra a estudar opções para poder se lançar pela terceira vez ao Planalto.
Nesse sentido, Serra passou a cogitar desde sair do PSDB –foi convidado pelo PPS– até disputar uma prévia com Aécio, embora saiba que hoje o senador tem apoio majoritário no partido.

É por esse histórico que o desempenho de Aécio e sua briga interna com Serra começam a preocupar integrantes do partido.

No cenário do Datafolha em que foram testados juntos, Serra e Aécio, somados, praticamente empatam com Marina. Separados, Serra tem desempenho pouco melhor que o de Aécio, mas o mineiro, quando testado sem o rival interno, não consegue atrair todos os seus votos.

Vice-presidente do PSDB, o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) disse que a sigla deveria ter feito prévia para escolha de candidato em vez de abraçar a candidatura de Aécio. “A especulação de que Serra vai sair só provoca instabilidade. Em vez de dividir o partido, deveríamos promover a unidade”, afirmou Dias.

A declaração gerou desconforto entre os principais aliados de Aécio. O deputado Marcus Pestana (PSDB-MG), disse que a posição de Dias não reflete a do partido.

“Aécio conseguiu unir o PSDB. O fato é que uma eleição que era dada como certa agora está totalmente aberta. O que está claro é que o povo descartou a continuidade automática do governo Dilma como principal opção.”

Mas mesmo entre os mais próximos, há uma cobrança para que o mineiro seja mais incisivo. “O que a pesquisa mostra é que todos os candidatos que não são Dilma Rousseff e Marina Silva precisam falar mais com o povo”, afirmou o deputado Sérgio Guerra (PSDB-PE).

Fonte: Folha Online

PP e PSB intensificam o diálogo sobre eleição 2014

Sem Título-1
A articulação para as eleições de 2014 está intensificando os encontros entre partidos que almejam o comando do Palácio Piratini e do Planalto. Na quinta-feira, líderes do PSB e PP se reuniram na sede do partido socialista e prospectaram uma possível aliança para o pleito do próximo ano.

O PP quer alianças para alavancar a provável candidatura da senadora Ana Amélia Lemos ao governo do Estado, já o PSB procura um palanque estadual para a candidatura do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, à presidência. Os anfitriões valorizaram o convite progressista e os seis deputados da legenda – três federais e três estaduais – participaram do encontro. “Estamos vivendo um momento político importante, de alinhar as ideias. Recebemos com bons olhos essas visitas”, afirmou o presidente estadual do partido, Beto Albuquerque.

O parlamentar reiterou a disposição da legenda em realizar coligações somente a partir da garantia de Campos como candidato à presidência. “O PP tem feito consultas nas suas reuniões com a base e a candidatura do Eduardo (Campos) tem sido bem recebida.”

A busca do PP é por parceiros que apoiem a candidatura de Ana Amélia, mas o presidente estadual do partido, Celso Bernardi, se mostrou mais cauteloso ao comentar o encontro com os socialistas. “É uma primeira conversa, não tem nada encaminhado, continuaremos conversando”, disse. Acompanhado de integrantes da diretoria do partido, Bernardi também evitou falar sobre o apoio à candidatura de Campos – atualmente, o partido integra a base aliada da presidente Dilma Rousseff (PT).

Beto destacou que os partidos têm inquietações semelhantes sobre a gestão do Estado. “A saúde pública é uma grande preocupação, assim como a discussão do endividamento do Estado e da política que temos adotado”, afirmou o socialista. O parlamentar também afirmou que não vê como entrave as posições ideológicas distintas dos partidos. “Falamos bem à vontade sobre isso. Ideias contrárias podem aproximar a busca de soluções. O PP e o PSB hoje estão no governo federal, comandado pelo PT. Não vejo dificuldade e não posso achar estranho que, se estamos juntos no governo federal, não possamos integrar o mesmo projeto estadual”, disse.

Fonte: Jornal do Comércio

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien