Seja doador de medula

Um gesto simples pode fazer toda a diferença e salvar uma vida. Seja você, também, um doador de medula óssea.

A chance de se encontrar uma medula compatível é de uma em 100 mil. Por isso, quanto maior for o número de brasileiros cadastrados nacionalmente, maiores são as chances de sobrevivência daqueles têm leucemia.

O que é

A leucemia é uma doença que diminui a produção de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos (responsável pela defesa do organismo) e a produção de plaquetas. Como resultado, surge a anemia, o cansaço fácil, a sonolência, manchas roxas, pequenos pontos vermelhos sob a pele e sangramentos prolongados em pequenos ferimentos. Hoje, surgem no Brasil cerca de 10 mil casos por ano. Destes, 900 acontecem no Rio Grande do Sul. Na maioria das ocasiões, há sérias dificuldades para encontrar doador na família ou mesmo dentro do país. Por isso é muito importante que seja cadastrado o maior número possível de doadores.

Doação

Para se tornar candidato a doador, basta retirar uma pequena quantidade de sangue (10 ml) e preencher uma ficha com informações pessoais. O sangue passará por exame de histocompatibilidade (teste de laboratório para identificar características genéticas que possam influenciar no transplante). O tipo de HLA será incluído em um cadastro nacional e quando aparecer um paciente, a compatibilidade será verificada. Para se cadastrar como candidato à doação é preciso ter entre 18 e 55 anos, boa saúde e não apresentar doenças infecciosas ou hematológicas. A pessoa deve apresentar documento oficial de identidade com foto e preencher o formulário de cadastramento. Todas as informações e esclarecimentos são dados ao possível doador.

Antes da doação, o doador faz um exame clínico para confirmar o seu bom estado de saúde. Não há mudança de hábitos de vida, trabalho ou alimentação. A doação é simples: é feita por meio de uma pequena cirurgia, de aproximadamente 90 minutos, em que são realizadas múltiplas punções nos ossos posteriores da bacia e é aspirada a medula. Esta retirada não causa qualquer comprometimento à saúde do doador e pode ser a única chance da pessoa que receberá a medula.

Para a realização do transplante é necessário que haja total compatibilidade entre doador e receptor. Caso contrário, a medula será rejeitada. As chances de um indivíduo encontrar um doador ideal entre irmãos (do mesmo pai e da mesma mãe) são de 35%. Em outros casos, a chance é de um para 100 mil. O número de doadores vem crescendo. Mas ainda é insuficiente para atender à demanda de pacientes cuja vida depende do transplante.

Parece simples, mas é um processo muito difícil. Por isso, quanto maior for o número de brasileiros cadastrados, maiores são as chances de sobrevivência daqueles têm leucemia. Um gesto simples pode fazer toda a diferença e salvar uma vida. Beto acredita na solidariedade de cada um. Faça você, também, a sua parte. Seja um doador de medula óssea.

PASSO-A-PASSO DO CADASTRO

Requisitos

Ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado de saúde

Para se cadastrar

Levar documento de identidade e preencher o formulário

A coleta

É colhido 10 ml de sangue para o teste de compatibilidade (HLA)

Banco de Dados

Os dados, juntamente com o resultado do exame HLA, serão incluídos em um banco de dados, chamado Redome (Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea)

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien