Quinhentos condenados foram soltos do Presídio Central em 2015

17483906

Todos nós nos sentimos inseguros, certo? E deve piorar. Ao ouvir a entrevista de um dos juízes mais renomados e realistas do RS, me pergunto: onde vamos parar? Desde 2010 o Estado vem liberando aqueles que deveriam estar em presídios. Desde 2010! Se o governo passado não relatava isso, o atual não apresenta um plano para resolver a situação. Nós, no entanto, seguiremos cada dia mais reféns dos bandidos.

A falta de vagas no complexo prisional do Rio Grande do Sul já colocou nas ruas 500 condenados ao regime semi-aberto somente em 2015. Eles deixaram o Presídio Central, em Porto Alegre, segundo o juiz da Vara de Execuções Criminais da Capital, Sidinei Brzuska. Em entrevista ao Gaúcha Atualidade, nesta segunda-feira (19), o magistrado afirmou que já são dois mil presos que deveriam estar em cadeias e que estão soltos.

Uma decisão judicial impede que presos novos passem mais de 24 horas no Presídio Central. Como eles não podem ser levados para a cadeia, em Porto Alegre, estão sendo mantidos em delegacias. Segundo o diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), delegado Marcelo Moreira, há, neste momento, 15 presos nestas condições. Dez deles estão na Capital gaúcha. Outros dois em Canoas e três em Gravataí.

Na sexta-feira (26), este número era de 28. Porém, seis foram soltos por decisão judicial e outros sete, que já tinham condenação, foram encaminhados para outros presídios. 

O Presídio Central chegou a ter 5,3 mil detentos em 2010. Após a decisão de que os novos presos só poderiam ficar 24 horas na cadeia, o número caiu para 4 mil. Hoje, a quantidade de detentos chega a 4,3 mil, sendo que o Central tem uma galeria a menos, que foi destruída. Segundo Brzuska, por causa disso, o presídio está muito próximo de atingir o pico de presos registrado em 2010.

Fonte: Rádio Gaúcha

Leave a reply

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien