abril 2014 archive

Pronatec terá em maio cerca de 400 vagas para cursos em Porto Alegre

459455-Cursos-Pronatec-Praia-Grande-20121
Cerca de 400 vagas do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) foram abertas para o mês de maio em Porto Alegre. Os cursos são gratuitos, e a maioria é de nível médio. A relação completa pode ser acessada neste endereço.

Para se inscrever, é preciso apresentar a carteira profissional, RG e CPF. Os alunos ganham vale-transporte e um lanche. A duração varia, podendo ser de algumas semanas ou até nove meses. O site do Pronatec tem todas as informações aos interessados.

Fonte: G1

Abaixo o preconceito! #SomosTodosIguais

daniel-alves-rafael-ribeiro-cbf
Futebol e racismo parecem não se separar, mesmo. A cada novo episódio, ainda me surpreendo. Dessa vez, o alvo foi Daniel Alves, ídolo do Barcelona e da seleção brasileira. Daniel reagiu de forma inusitada, surpreendeu a todos. Mas isso não apaga o ato imperdoável do torcedor que atirou uma banana no campo. Racismo é crime, é hipocrisia, é desrespeito, é desumano, é inaceitável, é burrice, é estupidez…

Será que esse torcedor – o que atirou a banana – acredita ser melhor que negros? Aliás, será que ele pensa ser diferente dos negros? Será que ele pensa que ser negro é uma ofensa? Será que acredita que ser europeu é ser melhor, é estar acima, é ser superior?

Durante muitos anos, a história nos mostrou guerras que o mundo viveu pela loucura humana na busca pela supremacia, pela superioridade de raças, pela crença de que uns são melhores que outros. Quanta loucura! E nem mesmo com exemplos assim, os torcedores de hoje aprendem.

Não somos todos macacos. Temos diferenças grandes, somos diversos. Mas na essência, somos todos iguais porque somos todos humanos. E, hoje, somos todos Daniel Alves!

Boa semana a todos.

Hoje é o dia da educação

06

“A boa educação é a base de uma nação consciente de seus direitos e deveres, que é capaz de construir o melhor para si e seu país, contribuindo para uma sociedade mais justa e com alta qualidade de vida”.

Os caras-pintadas não foram ouvidos

foto2

Lentidão da Justiça brasileira provocou a absolvição do ex-presidente da República, e hoje senador, Fernando Collor. Lembro como se fosse hoje dos caras-pintadas que saíram às ruas, pedindo o impeachment dele, em 1992. Mais de 20 anos depois, a absolvição é a prova de que nossa voz não foi ouvida.

Estranho, porém, parte da população brasileira que o reconduziu ao Senado, ao poder. Hoje, Collor está entre os políticos mais poderosos e influentes do país. Também não fomos ouvidos por aqueles que o elegeram.

Qual o rumo queremos dar do Brasil com políticos assim? Qual rumo queremos tomar daqui pra frente? Culpar a Justiça pela morosidade é justo. Mas culpar aqueles que têm memória curta, também.

Reclamamos de corrupção e reelegemos os corruptos. Se há corruptores, há corrompidos. E se esses se mantêm no poder com aval do povo.

Collor não me representa. Sarney não me representa. Renan Calheiros não me representa. Boa parte dos que comandam o Brasil não me representam. Eles representam vocês? Representam o sonho de país que temos?

Está na nossa mão a chance de mudar isso tudo e fazer, hoje, o que a Justiça não fez em 20 anos.

Obra no terminal 1 do aeroporto Salgado Filho vai atrasar nove meses. Promessa era entregar antes da Copa!

16415969
A morosidade no trabalho de ampliação do terminal 1 de passageiros do aeroporto Salgado Filho levou a Infraero a admitir nesta quarta-feira que o projeto não ficará pronto em janeiro de 2016. O prazo agora é outubro, nove meses a mais do que o originalmente previsto.

Orçado em R$ 181,19 milhões, o projeto é executado pela Construtora Espaço Aberto Ltda., de Florianópolis, responsável por uma série de atrasos em obras em Santa Catarina. Devido à lentidão, há um mês a Infraero jogou a toalha na pretensão de concluir ainda em maio, a tempo da Copa do Mundo, a conclusão da primeira fase da obra. Zero Hora voltou quarta-feira ao local e constatou que quase nada evoluiu em pouco mais de 30 dias.

Com os salários atrasados e condições de trabalho precárias, os funcionários entraram em greve na terça-feira da semana passada. Após nove dias de braços cruzados, os operários, que acabaram recebendo, acertaram nesta quarta-feira com a empresa retorno ao trabalho a partir desta quinta-feira. O pessoal da área administrativa, porém, segue sem pagamento.

A lentidão da obra levou Infraero a notificar a empresa sobre a intenção de aplicar uma multa na construtora. Como os problemas se repetem, não é descartada a hipótese de rescisão do contrato. Um caso semelhante leva a Infraero a também cogitar romper com o consórcio que faz a ampliação do aeroporto de Fortaleza. Prevista para Copa, o serviço estaria menos menos de 30% concluído. Mesmo assim, Isabelino dos Santos, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada do Estado (Siticepot), vê omissão da administração do aeroporto.

— Ninguém da Infraero tratou do assunto. Disseram apenas que isso é problema da Espaço Aberto e se não resolverem o problema estariam fora das obras — diz.

Contratado pela Espaço Aberto para gerenciar a obra, o engenheiro José Bonatto não garante a continuidade sem sobressaltos. Diz que “a situação do país” leva a empresa a ter problemas de fluxo de caixa. Além de salários, há pendências com fornecedores.

— Que garantia você pode ter em um país como esse? Mas é interesse da empresa não ter descontinuidade — afirma

Bonatto nega que a obra tenha pouco avançado em um mês. Segundo ele, foram feitos instalações de água esgoto que não são perceptíveis da superfície.

Devido às irregularidades, foi marcada audiência na próxima terça-feira no Ministério Público do Trabalho (MPT) para a empresa assinar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) se comprometendo a pagar em dia, informa a procuradora Márcia Medeiros Bacher.

Histórico de protelações

— A Espaço Aberto venceu a licitação para o projeto, em agosto do ano passado, pela modalidade de menor preço.

— A ordem para início do serviço foi dada em setembro

CUSTO

— No total, são R$ 181,19 milhões

Cronograma alterado

— A previsão inicial é que ficasse pronta até maio a primeira fase da ampliação do piso térreo da área de desembarque, com duas novas esteiras de bagagem. Agora, não há data

— A segunda fase deveria ser entregue em janeiro de 2016, com ampliação do terminal no segundo e no terceiro pavimentos, incluindo novos elevadores e escadas rolantes e mais duas pontes de embarque. Agora, o prazo é outubro de 2016.

E na Copa?

— Apesar do prazo frustrado, a Infraero assegura que não haverá problemas no Mundial. A estatal diz que, com a estrutura atual, o Salgado Filho tem capacidade para 13,1 milhões de passageiros por ano e, para 2014, a expectativa é de um fluxo de 10,7 milhões de embarques e desembarques.

— Em junho do ano passado, o Salgado Filho registrou a circulação de 627 mil passageiros.

— A Secretaria de Aviação Civil (SAC) estima que, durante o Mundial, os aeroportos brasileiros tenham um movimento 10% superior ao usual.

Fonte: Zero Hora

Dia internacional do livro

05

Ler é sonhar acordado, é viajar por mundos desconhecidos e reconhecer a si mesmo nas histórias que falam da vida, do ser humano e das relações. Leia sempre mais!

 

Educação: eu acredito!

educacao021

No domingo à noite, assisti a um programa, o Globo News Especial, que falava sobre a importância da educação e da alfabetização. Na verdade é uma série de reportagens que fala sobre esse tema, que talvez seja o nosso maior problema e nossa maior solução.

Vi especialistas, professores e alunos reforçando algo em que acredito muito: o foco da educação está nas pessoas. Tecnologia ajuda? Ajuda. Infraestrutura ajuda? Ajuda. Segurança ajuda? Ajuda. Tudo ajuda e é fundamental. Mas nada disso, de forma isolada, chega perto do que as pessoas representam no processo educacional.

E o que significa valorizar as pessoas? Significa, antes de tudo, salários dignos para os professores e agentes envolvidos. Significa respeitar o aluno e sua individualidade. Significa olhar e enxergar o outro como a extensão do conhecimento. Lembro como se fosse hoje – e o programa me ajudou a renovar esse sentimento – do primeiro dia de faculdade. Não lembro, porém, do dia em que aprendi as vogais e depois as consoantes. Mas, para que eu chegasse à universidade e ao mestrado, tudo começou nos primeiros dias de aula. Eu não sabia, mas naquela sala de aula simples, se abriria uma janela para o mundo. Uma janela através da qual eu apenas enxergava o horizonte.

Ao descobrir as letras, nossos professores nos mostraram o mundo. Para que haja um médico, um advogado, um piloto, um engenheiro, um nutricionista, um carteiro, um caixa de surpermercado, um bancário… Para todas as profissões, é preciso que haja um professor, alguém que mostre as letras, que as explique, que as junte e dê a elas sentido. Como as usaremos, somos nós quem decide. Mas tudo, tudo parte da disposição, paciência e talento daqueles que nos abrem a janela do conhecimento.

A educação transforma nossas vidas. A educação transforma o mundo. Educação não é mágica, não é milagre. É planejamento, é dar duro, é correr atrás, é entender que num país de mais de 5 mil municípios, cada um tem seu jeito, sua peculiaridade. Educação é exemplo, é valores, é ensinar a pensar. Graças à educação, nos tornamos seres críticos e aprendermos o que é certo e o que é errado. A partir disso, escolhemos nosso caminho, e nos tornamos agentes da transformação.

A única saída para o Brasil é a escola. É na sala de aula que está a janela para o país que sonhamos para nossos filhos. Eu acredito. Mas, para isso, é preciso mudar. E você, acredita?

Tarifa da AES Sul terá reajuste médio de 29,54%. E seu salário?

imagemm

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou ontem o reajuste anual das tarifas da distribuidora gaúcha AES Sul. Preparem-se: o aumento médio será de 29,54% nas contas de luz. Para baixa tensão, o aumento será de 28,99% e para alta tensão, o reajuste será de 30,29%. As novas tarifas da AES Sul passar a valer a partir de 19 de abril e vão atingir cerca de 1,3 milhão de unidades consumidoras em todo o Estado.

Em janeiro de 2013, o governo federal festejou e propagandeou a redução das tarifas. Hoje, com risco de apagão, aumentam com esse índice absurdo. Mas, claro, o governo diz que a inflação está controlada. Alguém teve aumento salarial de mais 30%?

Para o cidadão comum, o impacto será grande. Para a indústria, ainda mais. Os reflexos desses novos índices podem ser graves e devem impactar negativamente a economia brasileira. Economia que, aliás, vem dando sinais de fraqueza para o mercado externo e o interno. Quem vai aos supermercado todos os dias sabe do que falo. Tudo aumenta de valor e o poder de compra vem sendo reduzido a cada dia.

 

 

Luz para Bernardo

16388021
(Foto: Zero Hora)

Desde ontem sigo acompanhando de perto todas as notícias e relatos do caso do menino Bernardo. A cada informação, fico mais triste, mais indignado. A cada relato, entendo menos como alguém é capaz de agir com tanta frieza. Como filho, me coloco no lugar de Bernardo, pelo sofrimento da perda da mãe, pelo desafio de encarar um dia a dia difícil, pelo desafio de ir até o Ministério Público e pedir por socorro. Como pai, não consigo e jamais conseguirei conceber tamanha atrocidade.

Não quero e não farei nenhum tipo de julgamento. Não cabe a mim esse papel, assim como não cabe a nenhum de nós. Mas, confesso, está difícil encarar isso tudo sem sentir repulsa, raiva, dor, tristeza, incredulidade, impotência. Tenho certeza de que muitos se lembraram do caso de Isabela Nardoni. Eu lembrei.

Fico me perguntando, a cada instante, por que alguém que tem esse tipo de sentimento escolhe ser pai ou mãe. Amor de pai e mãe por um filho é maior que tudo. Nosso instinto é de proteção, cuidado, zelo. Difícil entender que um inocente tenha sido morto com tanta frieza, crueldade, planejamento. Mais difícil ainda entender porque ele pediu socorro a quem pode e a sociedade ficou de mãos amarradas. Não sei se mudar a legislação teria resolvido esse caso. Não sei qual o caminho para evitar tragédias como essa. Mas sei que é preciso olhar de forma especial para nossas crianças, para quem cuida de nossas crianças.

Ser pai é o maior presente que a vida me deu. É um desafio diário que vale a pena a cada sorriso de minhas filhas, a cada vitória delas, a cada colo, a cada abraço, a cada palavra. Por isso sigo sem acreditar nessa capacidade que o ser humano mostra de fazer a violência superar esse tipo de amor. Espero que a justiça seja feita e que, mais que isso, que sirva de alerta para prevenirmos casos como esse. Ao Bernardo, desejo um caminho de luz.

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien