Balanços de empresas gaúchas indicam cautela para este ano

20091214103538
Ao admitir nesta segunda-feira que revisou para baixo a previsão de aumento da carteira de crédito neste ano, o Banrisul se soma aos demais grandes grupos gaúchos de capital aberto que, ao divulgarem os balanços do segundo trimestre, registraram crescimento, mas apresentaram números pouco empolgantes e perspectivas cautelosas para o restante de 2013. Por trás dos indicadores mornos, estão o ritmo lento da economia e a queda da confiança de consumidores e empresários.

No caso do Banrisul, a expectativa de avanços dos empréstimos, antes de até 20%, baixou para, no máximo, 16%. A queda das projeções se deve principalmente à retração no segmento de pessoa jurídica. Devido à atividade econômica em marcha lenta, a demanda está menor. A projeção de alta de até 22% na carteira corporativa baixou para apenas 8%.

– No segundo trimestre, de uma forma geral, os resultados mostram certa acomodação da economia e um crescimento lento – resume Matias Dieterich, analista de investimentos da Solidus Corretora.

Mesmo quem teve lucro maior não demonstra grande empolgação. A fabricante de carrocerias de ônibus Marcopolo, de Caxias do Sul, teve lucro líquido 22% superior, enquanto a conterrânea Randon, indústria de implementos rodoviários e autopeças, saiu de prejuízo para resultado positivo de R$ 68,9 milhões. O desempenho está longe de ser considerando brilhante, avalia Dieterich:

– Isso não aconteceu porque a economia estava bombando, mas porque a base de comparação foi baixa.

O diretor financeiro e de relações com investidores da Randon, Geraldo Santa Catharina, observa que, apesar de a baixa base de comparação ter influenciado os números do trimestre, o setor vem sendo beneficiado pela safra cheia no país e manutenção de financiamentos acessíveis.

– Temos conversado com muitos investidores e eles mostram insegurança em relação ao país. De um modo geral, a indústria continua patinando – avalia Geraldo.

Para a Randon, os próximos meses devem ser de estabilização e ritmo mais moderado de crescimento. Visão semelhante tem a calçadista Grendene. Em relatório, a empresa atribui a melhora dos seus resultados “mais pelos nossos acertos que por impulso da economia”.

Como foi o lucro líquido de seis das 10 maiores companhias gaúchas listadas na Bovespa e que já apresentaram seus balanços no primeiro semestre:

Banrisul
2012: R$ 419,6 milhões
2013: R$ 419,7 milhões

Gerdau
2012: R$ 946 milhões
2013: R$ 561 milhões

Randon
2012: R$ 14,0 milhões
2013: R$ 108,5 milhões

Grendene
2012: R$ 141,5 milhões
2013: R$ 168,5 milhões

SLC Agrícola
2012: R$ -12,1 milhões
2013: R$ 83,1 milhões

Marcopolo
2012: R$ 139 milhões
2013: R$ 129,8 milhões

Matias Dieterich
Analista de investimentos da Solidus Corretora
“Pelo que vemos no cenário atual, não esperamos reação forte da economia. A taxa Selic ainda deve subir, a inflação permanece longe do centro da meta e os empresários estão cautelosos para investir.”

Geraldo Santa Catharina
Diretor financeiro e de relações com investidores da Randon
“Nosso segmento é uma espécie de ilha. No geral, a indústria não reagiu como o governo esperava de acordo com os estímulos que foram dados a vários setores.”

Fonte: Zero Hora

Leave a reply

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien