Apenas oito das 96 escolas municipais receberam o uniforme na Capital

Após um mês de aulas, poucas unidades já têm as roupas. Fornecedor culpa prefeitura: pedido foi feito cinco dias antes do início do ano letivo

Na abertura do ano letivo, em 27 de fevereiro, a Secretaria de Educação (Smed) de Porto Alegre anunciou que entregaria 44.997 kits de uniformes escolares para alunos de 96 escolas da rede pública municipal. Mas, passados 30 dias, somente oito instituições receberam o conjunto de roupas. Os pares de tênis, que também foram prometidos, ainda não chegaram aos pés dos estudantes. A compra dos uniformes custou R$ 6,7 milhões.

Pedido feito em cima da hora

Por que a demora? A fornecedora Capricórnio S/A, empresa paulista, alega que só recebeu a ordem de serviço cinco dias antes do início das aulas (22 de fevereiro).

Por contrato, a vencedora da licitação teria 60 dias para começar a entregar o material. Via assessoria de comunicação, a Capricórnio S/A afirma que acelerou a produção para “não deixar as crianças muito tempo sem os uniformes”. Por fim, prevê entregar todos os kits até o dia 22 de abril, data em que, por contrato, começaria a entrega.

Filha de Regina não recebeu

A Smed não se manifestou sobre o pedido ter sido feito cinco dias antes das aulas. Apenas informou que os kits são entregues nas escolas por uma empresa de logística contratada pela Capricórnio S/A.

Mãe de uma aluna da Escola Municipal Especial de Ensino Fundamental Professor Elyseu Paglioli, no Bairro Cristal, a dona de casa Regina Xavier da Rosa, 47 anos, achou a ideia maravilhosa, mas a filha continua indo com suas próprias roupas. Segundo a diretora Viviane Loss, os kits não foram entregues. Além de gerar economia em roupas, o kit facilitará a segurança na escola, a medida que os alunos serão facilmente identificáveis.

– As professoras disseram que quando eles chegassem, repassariam para os alunos – garante Regina.

Os kits

São três tipos de conjuntos:

Kit Berçário: previsto para cerca de 700 crianças de zero a um ano e 11 meses, conterá duas camisetas de manga curta, uma de manga longa, um moletom, uma calça de moletom, dois pares de meias e uma mochila, todos unissex. Na versão feminina haverá também um short-saia, e, na masculina, uma bermuda.

Kit Infantil: será entregue a cerca de 5 mil estudantes de dois a cinco anos e 11 meses, conterá as peças do Kit Berçário com o acréscimo de um par de tênis.

Kit Fundamental: corresponde a mais de 39 mil dos conjuntos. Também terá a substituição do moletom por uma jaqueta unissex e, na versão feminina, trocará a calça de moletom por uma calça legging.

Como são: as peças têm as cores cinza e branco como predominantes, além de detalhes em laranja, e contarão também com o brasão da prefeitura. Os uniformes serão de posse definitiva dos estudantes.

Alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental América, no Partenon, André, Flávio e Carlos não veem a hora de vestir os uniformes.

– Disseram que a gente não precisaria mais vir com roupa chique porque eles iriam dar. Estão prometendo desde o ano passado – brinca o aluno Carlos Alessandro Carvalho, 12 anos.

Pais têm de se mexer também

Mesmo nas escolas em que o material já foi entreegue, como na Escola Municipal de Ensino Fundamental Nossa Senhora do Carmo, na Restinga, a distribuição é demorada porque muitos pais não foram buscar o kit.

Há um mês, o colégio recebeu os uniformes das mãos do prefeito José Fortunati. Porém, até terça-feira, só 28 dos 711 alunos estavam usando camisetas, moletons, calças, meias, short-saias, bermudas e mochilas entregues pelo município.

Segundo a diretora Maria Fernanda Kelbert, primeiro os alunos tiveram de experimentar as roupas. Cumprida essa etapa, a escola marcou uma data para os pais retirarem o material e assinarem termo de responsabilidade.

– No sábado, esperamos 28 pais na escola, mas só cinco vieram. Quem não está de uniforme, não vai a passeios – alertou a diretora.

Fonte: Diário Gaúcho

Leave a reply

WP-Backgrounds Lite by InoPlugs Web Design and Juwelier Schönmann 1010 Wien